Os bons frutos do redesenhar da vida das mulheres

       Na quinta, 9 e, sexta, 10, em visita de monitoramento do Projeto “Mulheres redesenhando a vida, transformando o semiárido”, executado pelo Centro Feminista e co-financiado pela União Europeia, Cristina Araújo, Gestora Operacional, fez o reconhecimento das ações realizadas, encontrou com beneficiárias e parcerias, movimentos e organizações, monitorou e encaminhou sugestões para melhor alcance…

União Europeia visita o Centro Feminista 8 de Março nesta quinta e sexta

Desde o início de 2017, o Centro Feminista 8 de março está desenvolvendo o projeto Mulheres redesenhando a vida, transformando o semiárido, co-financiado pela União Europeia. Amanhã, 9, e sexta, 10, o CF8 estará recendo a visita da Gestora Operacional do projeto, Maria Cristina Araújo, para o reconhecimento das ações, encontro com beneficiárias e parcerias,…

Sementes de vida e organização das mulheres

A produção agroecológica promove a biodiversidade, a soberania alimentar, saúde e renda pro campo e pra cidade, e a auto organização das mulheres garante que a agroecologia possa se multiplicar. Assim acontece com o projeto de plantação do milho crioulo. Uma experiência para alimentar o fazer agroecológico, cultivar a vida e fortalecer a auto organização…

Da escola ao quintal, do quintal à escola: estudantes e agricultoras pensando e construindo a convivência com o semiárido

Através do projeto de Sistema de Vínculos da ActionAid, o Centro Feminista realizou um intercâmbio entre adolescentes da Escola Municipal Maria Gorete, da cidade de Upanema, à comunidade de Monte Alegre, zona rural do município, para conhecer a experiência do reuso de água, ideia que estudantes e professores desejam colocar em prática para gerir melhor…

Encontro comunitário: organização popular e solidariedade na convivência com o semiárido

Parte do encerramento do Programa Uma Terra, Duas Águas (P1+2), da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), executado pelo Centro Feminista, o encontro comunitário aconteceu no assentamento São Cristóvão, na casa de Reginaldo Rocha, mais conhecido como Fia que, além de ser cisterneiro, conseguiu, dessa vez, ser contemplado também com sua cisterna. Na ocasião, cerca de 50…