Projeto água viva redesenha a produção dos quintais a partir do reuso de água em Upanema

Dona Alvanir mostrando o seu filtro 2

Dona Alvanir mostra seu filtro de reuso de água

Nesta quarta-feira, 29, a Action Aid, ONG internacional parceira do Centro Feminista 8 de Março, visita experiência exitosa de reuso de água, o projeto Água Viva desenvolvido pelo CF8, cofinanciado pela União Europeia através do projeto “Do Quintal ao mar”, nos quintais de Monte Alegre, Upanema.

O projeto Água Viva tem como objetivo reutilizar a água da lavagem de roupa, da casa, da louça, para melhor convivência com o semiárido e, assim, potencializar a produção dos quintais das mulheres em busca de melhorias de vida para estas e suas famílias.

Ivi Aliana, agrônoma do Centro Feminista, explica que nos projetos que o CF8 assessora, as mulheres são estimuladas e orientadas para o cultivo de árvores frutíferas, hortaliças, e a falta de água sempre foi algo que dificultava o trabalho: “reutilizar a água das atividades de casa para além da agoação unicamente da bananeira era uma necessidade. Veio então a ideia do reuso da água para as outras culturas”.

O sistema Água Viva de reuso da água cinza implementado nos quintais funciona como um filtro capaz de garantir água adequada para o cultivo agrícola, pois além de livrar de bactérias prejudiciais e conservar alguns nutrientes como fósforo e cálcio (contidos nos resíduos acumulados na água cinza) funciona também como adubo para a terra.  “O Projeto Água Viva redesenha a produção dos quintais a partir do reuso de água” é o que constata Juliana Funari, da Action Aid.

Alvanir Pereira, uma das beneficiárias do Água Viva em Monte Alegre, Upanema, que receberá a visita da Action Aid, desconfiava que o projeto não daria certo: “eu não tinha fé numa coisa dessas, não. Achava que era serviço perdido e que ia matar as outras plantas”. E hoje afirma que: “a água reaproveitada é uma benção! Sobra mais água pros bichos, as plantas ficam mais fortes e o mais importante é que a gente não tá desperdiçando uma coisa tão cara como a água”. O exemplo da Água Viva de Alvanir estimula outras moradoras da comunidade a fazer o mesmo processo de reaproveitamento e enxergar a produção e comercialização de alimentos produzidos no quintal como fonte de renda e autonomia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s