Marcha da Lanterna Lilás terá assessoria jurídica, debates e caminhada afirmando a resistência das mulheres e alertando contra a violência

Programação da Marcha Mundial das Mulheres em alusão ao 25 de novembro em Mossoró
24059039_1278811768885088_6922506223925488494_n
A luta das mulheres por direitos, autonomia e contra a violência é todos os dias. Mas em memória de três militantes que foram assassinadas pela ditadura militar de Trujillo, na República Dominicana em 1960, o Primeiro Encontro Feminista Latinoamericano e do Caribe, ocorrido em 1981, definiu o dia 25 de novembro como Dia Internacional da Não Violência à Mulher. Em alusão à data, a Marcha Mundial das Mulheres, o Grupo Mulheres em Ação e o Centro Feminista 8 de Março, em parceria com o Mandato Popular da vereadora Isolda Dantas, realizarão a Marcha da Lanterna Lilás na segunda, 26, a partir das 15h na sede do Grupo Mulheres em Ação no bairro Nova Vida.
Esta é a décima sétima edição da Marcha da Lanterna Lilás. A programação será aberta à comunidade e ao público externo e contará com assessoria jurídica com advogadas populares, oficinas de batucada feminista e cine feminista.
23316820_1264463436986588_3495068559341743809_n
Sobre o tema trabalhado neste 25 de novembro “Contra o fascismo e a violência, as mulheres são a resistência”, Conceição Dantas, do Centro Feminista 8 de Março e Marcha Mundial das Mulheres, explica que: “Pensando na conjuntura, nós, que fazemos a Marcha Mundial das Mulheres acreditamos que a ameaça do fascismo amplia a violência. A não aceitação de quem é e quem pensa diferente do padrão machista, racista e lgbtfóbico, e de outros grupos sociais que Bolsonaro chama de minorias, é a arma fascista de uma agenda neoliberal que aprofunda a retirada de direitos da classe trabalhadora e legitima a pauta conservadora que propaga a superioridade e a propriedade dos homens sobre as mulheres, o que implica diretamente na violência de assédio, estupro e feminicídio”.
15170953_951142901651978_3239621763308674018_n
Falando das atividades que ocorrerão no dia 26, Glisiany Plúvia, do Centro Feminista, Mulheres em Ação e Marcha Mundial das Mulheres, conta que: “A Marcha da lanterna lilás consegue dialogar com a população quando a gente faz as denúncias e as mulheres se enxergam nas situações que denunciamos e percebem que estão no ciclo de violência. Este é o primeiro passo. Neste ano, pensamos na assessoria jurídica popular acessível para as mulheres porque é mostrando alternativas que as mulheres se sentem mais fortes para vencer a violência”.
Esta é a marca das mulheres: protagonistas nas lutas pela democracia e contra o fascismo, por um mundo sem violência!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s