Projeto irá construir e fortalecer 52 bancos de sementes crioulas no RN

Sementes do Semiárido

A Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA) em parceria com o Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS) e BNDES, lançam na próxima quarta-feira, dia 03 de junho, o Programa de Manejo da Agrobiodiversidade – Sementes do Semiárido Potiguar, que visa à construção e o fortalecimento de 52 bancos e casas de sementes crioulas no Rio Grande do Norte. O lançamento está previsto para as 8h na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Apodi (STTR), no município de Apodi (RN).

O objetivo do programa é propiciar o acesso descentralizado das famílias do meio rural às sementes, através do resgate, da preservação, da multiplicação, do estoque e da distribuição de sementes crioulas, adaptadas a região.  O lançamento faz parte das ações do programa que acontece em toda a extensão do Semiárido, totalizando o fortalecimento e a construção de 600 (seiscentos) bancos de sementes em nove estados brasileiros, entre eles o Rio Grande do Norte.

As regiões do Mato Grande, do Médio e Alto Oeste Potiguar são alvos do programa que irá beneficiar comunidades rurais dos municípios de João Câmara, Bento Fernandes, Touros, São Miguel do Gostoso, Poço Branco, Pedra Grande, Pureza, Jandaíra, Apodi, Severiano Melo, Caraúbas, Campo Grande, Messias Targino, Olho D’água dos Borges, Janduís, Upanema e Umarizal.

A execução do programa está sendo feita por duas organizações não-governamentais da sociedade civil que compõem a Rede ASA Potiguar, a Cooperativa Techene e o Centro Terra Viva, em parceria com os sindicatos rurais e associações comunitárias localizados nas regiões de atuação e execução do projeto.

O publico a que se destina; são os beneficiários do programa bolsa família do Governo Federal, beneficiários inscritos no Cadastro Único, famílias chefiadas por mulheres e agricultores familiares, totalizando o número de 48 mil pessoas atendidas em todo o Semiárido.

De acordo com o coordenador da ASA Potiguar, Yure Paiva, essa é uma continuidade do Programa de Formação e Mobilização Social para a Convivência com o Semiárido que a ASA vem construindo ao longo dos mais de 15 anos de trabalho no estado, através dos programas Um milhão de Cisternas (P1MC) e do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), contribuindo para a transformação social e a valorização da água como um direito essencial da vida.  “A captação e estocagem das águas, além da conservação da agrobiodiversidade são elementos essenciais para garantir a soberania e a segurança alimentar e nutricional das famílias que compõem o semiárido, diminuindo assim a pobreza e as desigualdades sociais existentes na nossa região”, afirmou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s